Dermatopatias ou doenças com manifestação dermatológica são muito comuns em veterinária, e englobam desde parasitoses, infecções bacterianas, dermatofíticas (fungos), tumores e ulcerações, doenças autoimunes, emocionais e sem causa conhecida, e seu tratamento varia com a espécie, raça, idade e indivíduo (o que deu muito certo em termos de tratamento para uns, não fez sucesso com outros.
 
Inicialmente vamos às dermatites em filhotes, que podem ocorrer no canal do parto. Se existe uma infecção presente, ela pode se manifestar na pele dos filhotinhos recém saídos do útero e sem defesas.
 
O tratamento é complexo pois pouco  assimilam e metabolizam os antibióticos administrados, além dos malefícios que estes causariam no organismo  neonato.
 
Sarnas sarcóptica (escabioses) e dermatofitoses (micoses) os filhotinhos de cães e gatos adquirem facilmente por contato em ambientes infestados. Os tratamentos devem ser rigorosamente seguidos, pois também há risco para os seres humanos destas duas afecções.
 
Sarna demodécica (demodicose) não é contagiosa, mas os filhotinhos adquirem ao mamar na cachorra portadora, por contato.
 
O tratamento deve ser constante a partir do momento do diagnóstico.
 
 
 
Infecções de Pele por Bactérias
 
 Diversas infecções aparecem com quadros dermatológicos que mostram ferimentos de difícil cicatrização e recidivas constantes, são até frequentes em algumas raças, como o pastor alemão. Há uso de antibióticos por meses a fio,
sem que haja uma cura.
Culturas bacterianas são feitas para identificar a(s) bactéria(s)
que se alojaram nestes ferimentos, com antibióticos ministrados de acordo com o antibiograma.
 
Há o teste alérgico para ser feito, pois pode haver um fundo alérgico na dermatite com
posterior infecção secundária levada pelas unhas do cão ao se coçar. Com o teste alérgico são identificados os alergenos; alguns podem ser removidos, outros existem no ambiente e no dia-a-dia e não podem ser retirados.
 
É então aplicada uma "vacina" semanal com alergenos para fazer a dessensibilização gradativa, para que o organismo
se proteja parcialmente dos agentes etiológicos.
 
Nota-se uma melhora boa, mas sem a devida manutenção (vacina) há uma volta do quadro dermatológico.
 
A queda de resistência por imunossupressores, doenças debilitantes, cio, estresse, acentuam o quadro.
 
A infecção de pele é também conhecida como PIODERMITE e somente o veterinário
que atende o animalzinho poderá determinar os procedimentos terapêuticos.
 
 

DERMATOFITOSES

Dermatofitoses são afecções de pele causadas por dermatófitos, que são fungos com predileção pelo tecido cutâneo e pêlos (tricófitos). Podem ser agentes primários ou secundários na sua infestação. Quando a resistência do animal cai por alguma razão (estresse, infecções bacterianas, exposições, viagens, doenças debilitantes) o fungo pode se instalar por "carona", pois o combate travado pelo organismo está ausente.

A integridade da pele deve por isso ser mantida através de uma boa alimentação, o ambiente onde o animal fica alojado deve ser higiênico e não ter umidade, a pele e pelagem devem ser bem arejados por escovação, e os banhos feitos com profissionais de Pet-Shop, pois a secagem da pele é muito importante.

Em casa dificilmente essa secagem é efetuada de modo correto pois a toalha só seca a pelagem nas pontas, e a pele e o subpêlo permanecem úmidos favorecendo a proliferação de dermatófitos, especialmente nos animais de pelagem longa (gatos persas,  cães Afgan hound, Collie, Lhasa apso, Pequinês, e outros).

Cães e gatos acometidos por dermatófitos e em tratamento devem ter os seus apetrechos
de escovação e toalhas e banheiras separados dos outros animais sadios, pois a contaminação
desses materiais serve de veículo para transmissão dos esporos dos fungos.
 
As raças de cães e gatos sem pelo como o cão Pelado Mexicano e o gato Sphynx necessitam de protetores solares, hidratantes e ciodados constantes, pois a pele desprotegida resseca e apresenta fissuras, que são portas abertas a infecções e  por que não  dermatofitoses, apesar de bem arejadas.
 
As guias e coleiras também podem veicular esporos de fungos, por isso  não devem ser usados nos cães e gatos hígidos, assim como os arreios e selas, mantas, rasqueadeiras e escovas de cavalos com dermatifitoses.
 
As cocheiras com camas úmidas e pouca insolação favorecem a presença de fungos, por isso a limpeza e boa secagem são essenciais.
 
Os tratamentos são longos, os produtos e medicamentos utilizados devem ser sempre determinados por veterinários após o diagnóstico, pois as dermatopatias de qualquer origem podem apresentar um quadro clínico muito parecido.
Atualmente existem produtos muito eficientes para a erradicação de dermatomicoses.
 
 

 DERMATOMICOSES

Normalmente acometem cães e gatos de todas as idades, mas o fator "baixa resistência" está presente, pois estamos (nós e os animais)
em contato direto com esporos de fungos patogênicos, e o organismo com boas defesas não
adoece facilmente.
 
A umidade da pele sob os pêlos favorece a proliferação dos dermatófitos. Os "banhos dados em casa" sem a secagem da pele com o secador faz com que a pele sob o manto de pelos permaneça úmida e sem ventilação (principalmente os pêlos longos), o que favorece o desenvolvimento dos dermatófitos.
 
Roupas, coleiras, peitorais, caixas de transporte, pentes e escovas, toalhas, podem veicular esporos.
 
As caminhas contaminadas também podem ser fonte de contaminação.
 
Canis com má ventilação e umidade favorecem o processo de veiculação.
 
Existem bons produtos para o combate, e devem ser prescritos pelo veterinário.
 
A desinfecção seve ser feita com produtos de amplo espectro (dos canis e gatis. Os raios ultra-violeta solares devem ter acesso aos canis e gatis.
 
Nos cavalos os arreios, mantas, escovas e rasqueadeiras também veiculam os esporos.
 
A boa ventilação, insolação e distância de bosques e bambuzais minimiza as ações dos esporos.
 

 
Dra. Angélica Úrsula Landau
CRMV-SP 02736
CRMV-j 09904
 
 




Telefones:  (11) 9 8323-2253 (TIM) Whats App (11) 9 6902-2607 (Vivo)

(15) 3249-2314

e-mail adell1703@hotmail.com

ou

contato@canildellpropuppies.com.br


  Site Map